Auschwitz era um complexo de campos de concentração utilizado na Segunda Guerra Mundial pelos nazistas para abrigar – ou melhor – exterminar prisioneiros de guerra, sendo que os maiores campos era Auschwitz I, II e III. Para vergonha não só do nazismo, mas também da humanidade, o complexo ficou manchado com o sangue de diversas mortes, tanto que é o local onde se teve mais assassinatos em massa do mundo. Em sua entrada, podemos ver a frase Arbeit Macht Frei, que em Alemão significa “O trabalho liberta”.

PATROCINADO
PATROCINADO

entrada

Quando os soviéticos invadiram os campos, em 1945, no fim da guerra, os nazistas já haviam abandonado o local, mas deixaram para trás e de maneira covarde 7 mil prisioneiros para morrerem de fome, felizmente, os soviéticos conseguiram salvar a grande maioria, mas não foi só isso que eles encontraram. Conforme o tempo foi passando, o inferno de Auschwitz foi sendo revelado para o mundo e hoje é considerado como se fosse realmente um inferno na Terra, tamanho as atrocidades que lá ocorriam, e no post de hoje mostraremos algumas delas que não são muito conhecidas. Confira:

Estrondoso número de mortos

Tanto que superou as perdas britânicas e norte-americanas juntas. Em uma estimativa, foram enviadas 1,3 milhão de pessoas, das quais 1,1 milhão faleceram, sendo 1 milhão judeus.

mortos

Experimentos científicos macabros

Ministrados pelo Anjo da Morte, como já vimos no post do Holocausto, Joseph Mengele, que realizava estudos com gêmeos; se um dos irmãos morria durante o experimento, o outro já era morto para que ele pudesse realizar necropsias comparativas.

Anjo da morte

PATROCINADO

Medidas desesperadas

Para adquirir informações sobre Auschwitz, o soldado polonês Witold Pilecki se voluntariou para ser enviado ao complexo e adquirir informações para depois fugir e contar ao mundo as atrocidades que lá ocorriam.

Witold

Mulheres demoníacas

Havia 170 mulheres trabalhando nos campos, mas a mais diabólicas de todas era conhecida como “A Cadela de Belsen”, Irma Grese: quando andava pelos campos, estava usando botas pesadas, chicote e pistola. Quando os soldados aliados a capturaram, encontraram em seus aposentos abajures feitos com pele humana. Por seus crimes, foi condenada à forca aos 22 anos de idade.

Irma

Impunidade

Haviam 7 mil nazistas trabalhando em Auschwitz durante a Segunda Guerra, mas apenas 750 foram punidos por seus crimes.

Nuremberg

PATROCINADO

Auschwitz – o inferno na Terra

Tempo de leitura: 2 min
0