“O capitão saltou para o mar e se afogou em desespero, outro morreu devido a pressão alta, fome e sede“, diz o jovem pescador de 29 anos. que ele foi resgatado como náufrago no arquipélago do Havaí, em 26 de abril.

PATROCINADO
PATROCINADO

Sua identidade e local de partida não foram entregues, pois as autoridades colombianas decidiram preservar a sua segurança.

O que sabemos, é que ele zarpou no dia 2 de fevereiro, junto com outros dois homens e devido a problemas climáticos, no dia 10 de Fevereiro seu barco sofreu sérios danos, deixando-os à deriva no Oceano Pacífico .

“O vento veio para nós (acima) quase nas águas da Costa Rica e danificou o nosso motor”, comentou o jovem ao Ministério das Relações Exteriores da Colômbia, quando foi resgatado.

foto 1

O mau tempo não só danificou o motor do barco, como também os equipamentos de comunicações. Para sobreviver, ele que recolheu a água da chuva em recipientes de combustível e comia aves ou peixes que podia pescar. Assim, ele pode conseguir permanecer vivo até Nikkei Green, um navio cargueiro conseguir encontrá-lo quase no dia 26 de abril.

Imediatamente, a tripulação do cargueiro alertou a guarda costeira Havaí que um navio de 7 metros, com bandeira panamenha estava em seu caminho para a China, através de contato telefônico usando um equipamento de satélite. O jovem estava desnutrido, desidratado, com dermatite e anemia, resultado dos quase três meses à deriva.

Apesar da sua má condição física, o pescador fraco pode subir a longa escada de seu barco para o convés do cargueiro gigante. Uma vez dentro do barco, ele disse: “Soy Colombiano”. O homem foi resgatado a mais de 3.000 quilômetros a sudoeste do arquipélago do Havaí. Sendo águas de competência da Guarda Costeira dos EUA, foram eles que realizaram o resgate.

PATROCINADO

foto 1

“Este marinheiro teve uma grande força e foi uma sorte que a tripulação do Nikkei Green conseguir encontrá-lo em uma área onde há pouco tráfego”, disse John MacKinnon, chefe do Distrito 14 da guarda costeira dos Estados Unidos

A tripulação do Nikkei Green recebeu instruções do médico da guarda costeira sobre como cuidar de um náufrago resgatado, enfatizando como alimentar e hidratar, de modo a evitar causar mais danos para ele.

foto 2

Já em um porto seguro, o náufrago foi recebido por um funcionário do Ministério das Relações Exteriores da Colômbia, depois de voar com ele para São Francisco, EUA, onde está localizado o consulado cobrindo o estado do Havaí.

“Estou ótimo, alegre, porque graças a Deus eu estou vivo e eu dou muito graças aos senhores do navio”, comentou o jovem resgatado, que também lamenta a morte de seus colegas de tripulação “Fico triste pelos meus companheiros. Eu queria que eles estivessem comigo”.

foto 3

O homem voltou ao seu país de origem, onde se reuniu com sua família. Os corpos dos outros homens a bordo não foram encontrados, informou a Guarda Costeira dos EUA, mas o jovem resgatado entregou às autoridades os passaportes de seus companheiros que morreram no mar.

O que você acha desta história de sobrevivência? Compartilhe com seus amigos!

ImagensNotagram

PATROCINADO

As aventuras de Pi da vida real: Jovem colombiano ficou 3 meses a deriva no Oceano Pacífico e sobreviveu

Tempo de leitura: 2 min
0