Calma, não precisa trancar o quarto e se armar até os dentes. O apocalipse zumbi está longe de acontecer, mas você sabia que existe uma doença capaz de te deixar igual a essas criaturas?

PATROCINADO
PATROCINADO

Zumbi

Eis que em 1995, um estudante de medicina recebeu um paciente um tanto quanto peculiar: ele afirmava estar morto. O médico, Jesús Ramirez, o diagnosticou como esquizofrênico, mas, intrigado, ele pesquisou a fundo e descobriu que o tal enfermo tinha na verdade a Síndrome de Cotard, a qual faz com que o portador questione a motivação de sua própria vida.

PATROCINADO

Embora a OMS e o manual de diagnóstico da Associação Psiquiátrica dos Estados Unidos não certifiquem que a Síndrome exista, Ramirez, após ter se especializado em psiquiatria, afirma que as pessoas portadoras dela são muito negativas e que não encaram a realidade da mesma forma, pensando que estão mortas, ou então que estão sob o domínio de alguma força ou que são imortais, o que pode levar alguém a cometer suicídio.Síndrome Zumbi

Para o pesquisador em ciência cognitiva Max Coltheart, mecanismos neurobiológicos são capazes de alterar a capacidade neuropsicológica, fazendo com que o portador encare a realidade de uma maneira diferente, tendo dificuldades de recordar memórias emocionais, o que acaba por desequilibrar, e muito, a normalidade de sua vida, fazendo com que estranhe até mesmo seu próprio corpo e sua própria identidade, causando uma descaracterização de sua pessoa que o faça crer estar morto enquanto vivo.

Atualmente, não há tratamento para a tal Síndrome, o que pode se fazer é tratar as doenças básicas que resultam nela, como por exemplo o mal de Parkinson para depois, realizar terapias cognitivas comportamentais e interpessoais.

PATROCINADO

Síndrome de Cotard: Os zumbis da vida real

Tempo de leitura: 1 min
0